Um ano depois Pulitzer premia obra de ficção


(Foto: Divulgação)

Em 2012, os organizadores do Prêmio Pulitzer se recusaram, isso mesmo, a premiar obras de ficção pois nenhum dos finalistas – “Sonhos e Comboios”, de Denis Johnson, “Swamplandia!”, de Karen Russell, e “The Pale King”, de David Foster Wallace – recebeu o número mínimo de votos necessários para ser o vencedor.

Este ano, “The Orphen Master’s Son” de Adam Johnson foi o premiado. O livro é um romance que se passa na polêmica Coréia do Norte e conta a história de um jovem que se torna um sequestrador do regime ditatorial norte-coreano. O autor, para escrever o livro, visitou o país e conheceu sua cultura.

“Eles abrem o país apenas por algumas semanas por ano, a não ser que você seja um diplomata ou um empresário. Eles determinam quando você entra e quando você sai do país. Eles lhe mostram o que querem mostrar. E os cidadãos comuns não podem interagir com um estrangeiro”, afirmou Adam em uma entrevista para o American Abroad Media. A entrevista em inglês pode ser vista abaixo:

Fonte: Folha

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s