10 filmes para aproveitar o Dia dos Namorados


(Fonte: Gettyimages)

(Fonte: Gettyimages)

Para aproveitar o dia de hoje com a pessoa amada grudadinho no sofá ou na cama vendo um bom filme, o Se Liga traz uma lista de 10 filmes divididos em pessimistas e otimistas para agradar os casais que procuram entretenimento e finais felizes e para os que gostam de um filme que faz pensar e analisar a relação.

Filmes otimistas

… E o vento levou – conta a história de Scarlet O’Hara (Vivien Leigh) e seu relacionamento com o aventureiro Rett Butler (Clark Gable). O pano de fundo do romance cheio de reviravoltas é a Guerra Civil Americana. Para quem gosta de romance, filmes de época e de clássicos cinematográficos esta é a melhor opção para se entreter e se emocionar.

Inquietos – este é um filme emocionante que mostra duas visões diferentes sobre a morte. Enoch (Henry Hooper) é um órfão que passa seus dias visitando velórios. Em uma dessas “visitas” ele conhece Annabel (Mia Wasikowska). O relacionamento dos dois cresce gradualmente conforme a película se desenrola. O ator Henry está ótimo, sua postura rebelde impressiona e Mia, bem o que podemos dizer dela, ela é linda, ótima atriz e esbanja graciosidade, super fofa.

Ponyo – uma amizade que veio do mar – quem gosta de desenhos deve conhecer o desenhista Hayao Miyazaki. Ele levou o Oscar de melhor animação com “A Viagem de Chihiro”. Seus trabalhos são belíssimos, emocionantes e envolventes e Ponyo é um exemplo bem claro disto. O filme conta a história de Ponyo uma peixinha filha de um feiticeiro e uma deusa que é achada por Sosuke e que ao se encontrarem é paixão a primeira vista. O pai de Ponyo exige que ela volte para as profundezas do oceano, mas para ficar em terra firme ela precisa se transformar em humana.

Encontros e Desencontros – somente por ser dirigido e escrito por Sofia Coppola, o filme já seria bom o suficiente, entretanto, é a atuação dos 2 protagonistas que fazem o filme ser excelente. Bob Harris (Bill Murray) é um ator em decadência com o seu casamento por um fio que vai para o Japão promover uma marca de whisky barato. Lá ele encontra Charlotte (Scarlett Johanson) uma filósofa formada, desemprega que está acompanhando o marido em ensaios fotográficos de uma banda japonesa.

Ambos estão em crises existenciais não achando sentido para a rotina do dia a dia e desiludidos com seus relacionamentos. Eles se conhecem e a química é instantânea. O filme mostra o desenrolar deste inusitado relacionamento. Este é de longe o melhor papel da carreira de ambos os atores. Bill Murray não levou o Oscar por injustiça da Academia. Scarlett Johanson mostra o seu melhor lado, de garota inteligente e delicada, sem maquiagem ela se torna mais humana e ainda mais bonita.

Up – altas aventuras – sabe aquele filme que marca um relacionamento? Então, este é “O” filme. A Pixar é conhecida por criar roteiros adultos em desenhos para crianças, alcançando assim um leque invejável de público. O ápice do estúdio que faz parte da Disney foi este filme, Up – Altas Aventuras. O filme é uma montanha-russa de emoções nunca gratuitas e muito bem desenvolvidas durante toda a película. As duas personagens principais não podiam ser mais inusitadas. O velho “rabugento” Carl Fredericksen e o jovem escoteiro Russell.

Para que Carl ganhe a simpatia do público, o excelente diretor Pete Docter criou uma das cenas mais emocionantes da história do cinema. Para deixar a cena ainda mais épica, a maravilhosa trilha sonora de Michael Giacchino – não é atoa que ele levou o Oscar de Melhor Trilha Sonora – começa com uma valsinha super divertida e se transforma em uma melodia triste e melancólica que faria (se já não fez) Mike Tyson chorar até soluçar.

 

Filmes pessimistas

Namorados para sempre – este filme com certeza marcará nossa geração. Dean e Cindy são casados há alguns anos e tem uma filha. Eles passam por uma crise no relacionamento e tentam restruturá-lo. O filme intercala cenas do começo do relacionamento com o momento atual da crise. Ryan Gosling ator que interpreta Dean está impercável e Michelle Williams indicada ao Oscar – só não levou porque Natalie Portman estava imbatível no magnífico “Cisne Negro” – é cativante e mantém a qualidade de suas interpretações. Sem dúvida dois dos melhores atores da nossa geração.

Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças – as pessoas costumam subestimar Jim Carrey. Mas verdade seja dita, ele é um ator versátil e com um potencial absurdo. Neste filme como em tantos outros não é diferente. Ele interpreta Joel, um cara introvertido sem muita personalidade que se apaixona por Clementine (Kate Winslet) uma mulher impulsiva cheia de curiosidades.

Com o término do namoro Clementine participa de um tratamento experimental e apaga sua memória sobre Joel e este ao descobrir isto decide passar pelo mesmo procedimento – por isso o brilhante e bem escolhido nome do filme –, mas as coisas não são tão simples assim.

(500) Dias com Ela – outro filme com uma pegada indie que marcará nossa geração. Tom Hansen (interpretado com competência por Joseph Gordon-Levitt) é um cara romântico que acredita no amor. Ele se apaixona pela nova assistente de seu chefe, Summer (a fofíssima e graciosa Zooey Deschanel que rouba as cenas assim como Mia em Inquietos), que não acredita no amor e não é nada romântica. Eles vivem um romance que dura 500 dias. A reviravolta do filme é ótima e é de deixar o budista mais tranquilo muito fora de si. Vale a pena.

Desejo e Reparação – este é um filme de drama trágico. Parece pleonasmo, mas não havia melhor maneira de definir o filme. Robbie Turner (James McAvoy) e Cecilia (Keira Knightley) são separados pelo primeiro ser acusado por um crime que não cometeu. Com o amor dos dois destruídos Robbie vai lutar na guerra – o pano de fundo deste filme é a Segunda Guerra Mundial. É uma história maravilhosa, com cenários épicos e trilha sonora apaixonante.

Amor – Este foi uma das maiores injustiças que a Academia já cometeu. A atriz Emmanuelle Riva que interpreta Anne no filme está impecável. Juntamente com a nossa querida Fernanda Montenegro ela merecia o Oscar mas não levou. Anne é vitima de um acidente e o amor entre ela e seu marido Georges (Jean-Louis Trintignant) é testado na doença e na tristeza.

O filme ocorre o tempo todo dentro do apartamento do casal de idosos. A atuação de ambos é estupenda, de tirar o fôlego, mostrando que cinema de verdade é feito à moda antiga. O famoso cineasta Ingmar Bergman, que revolucionou a 7º arte, iria adorar assistir a esta obra-prima.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s