“Tatuagem” é eleito melhor filme no Festival de Gramado


(Fonte : Divulgação)

O ator Irandhir Santos (a direta) levou o prêmio e Melhor Ator do Festival (Fonte : Divulgação)

O filme Tatuagem do diretor Hilton Lacerda levou o Kikito de Melhor Filme no Festival de Cinema de Gramado, enquanto seu protagonista, o ator Irandhir Santos, levou o prêmio de Melhor Ator do Festival. A história do filme se passa no final dos anos 70 e retrata um cabaré de Recife que realiza shows que debocham do regime militar.

Clécio Wanderley (Irandhir Santos) é o líder do grupo de teatro Chão de Estrelas, a estrela principal do espetáculo é Paulete (Rodrigo Garcia), com o qual Clécio mantém um relacionamento amoroso. No desenrolar do filme, Paulete recebe a visita do cunhado Fininha (Jesuíta Barbosa) que logo se encanta pelo trabalho do grupo e é seduzido por Clécio. Logo eles desenvolvem um relacionamento que coloca Fininho em uma situação contraditória entre o encantamento com a arte anárquica e a repressão ditatorial.

O prêmio de Melhor Direção foi para a dupla Andradina Azevedo e Dida Andrade pelo filme A Bruta Flor Do Querer. Já o de Melhor Atriz foi para Leandra Leal por sua interpretação em Éden de Bruno Safadi. Outro destaque foi a homenagem ao ator Walmor Chagas que levou o prêmio de Melhor Ator Coadjuvante por A Coleção Invisível de Bernard Attal. Este foi o último trabalho do ator que se suicidou em janeiro deste ano.

Confira a lista completa dos vencedores:

Longas-metragens brasileiros
Melhor filme: Tatuagem (PE), de Hilton Lacerda
Melhor diretor: Andradina Azevedo e Dida Andrade, por A Bruta Flor do Querer (SP)
Melhor ator: Irandhir Santos, por Tatuagem (PE)
Melhor atriz: Leandra Leal, por Éden (RJ)
Melhor ator coadjuvente: Walmor Chagas, por A Coleção Invisível (BA)
Melhor atriz coadjuvante: Clarisse Abujamra, por A Coleção Invisível (BA)
Melhor roteiro: Domingos de Oliveira, por Primeiro Dia de Um Ano Qualquer (RJ)
Melhor fotografia: Gallo Rivas, por A Bruta Flor do Querer (SP)
Melhor montagem: Karen Harley, por Os Amigos (SP)
Melhor direção de arte: Eloar Guazzelli e Pilar Prado, por Até que Sbórnia nos Sepere (RS)
Melhor trilha musical: DJ Dolores, por Tatuagem (PE)
Melhor desenho de som: Edson Secco, por Éden (RJ)

Prêmio do júri oficial: Revelando Sebastião Salgado (RJ), de Betse de Paula

Prêmio do júri popular: Até que a Sbórnia nos Separe (RS) e A Coleção Invisível (BA)

Longas-metragens latino-americanos
Melhor filme: Repare Bem (POR), de Maria de Medeiros
Melhor diretor: Roberto Flores Prieto, por Cazando Luciérnagas (COL)
Melhor ator: Cesar Troncoso, por A Oeste do Fim do Mundo (ARG/BRA)
Melhor atriz: Valentina Abril, por Cazando Luciérnagas (COL)
Melhor roteiro: Carlos Franco Esguerra, por Cazando Luciérnagas (COL)
Melhor fotografia: Eduardo Ramírez Gonzáles, por Cazando Luciérnagas (COL)
Melhor filme júri popular: A Oeste do Fim do Mundo (ARG/BRA), de Paulo Nascimento

Prêmio especial do júri: Grupo de Teatro Catalinas Sur, por Venimos de Muy Lejos (ARG)

Curtas-metragens nacionais
Melhor filme: Acalanto (MA), de Arturo Saboia
Melhor diretor: Arturo Saboia, por Acalanto (MA)
Melhor ator: Kauê Telloli, por A Navalha do Avô (SP)
Melhor atriz: Léa Garcia, por Acalanto (MA)
Melhor roteiro: Francine Barbosa e Pedro Jorge, por A Navalha do Avô (SP)
Melhor fotografia: Alexandre Samori, por Arapuca (SP)
Melhor montagem: Gilberto Scarpa e Vinícius Gotardelo, por Merda! (MG)
Melhor direção de arte: Rogério Tavares, por Acalanto (MA)
Melhor trilha musical: Luiz Oliviéri, por Acalanto (MA)
Melhor desenho de som: Tiago Bello, Rita Zart e Marcos Lopes, por Tomou Café e Esperou (RS)

Prêmio do júri popular: Acalanto (MA), de Arturo Saboia

Menção honrosa: Carregadores do Monte (SP), de Cassio Santos e Julio Lucena

Prêmio especial do júri: Os Filmes Estão Vivos (RS), de Fabiano de Souza e Milton do Prado

Prêmio Canal Brasil: A Navalha do Avô (SP), de Pedro Jorge

Prêmio do Júri da Crítica
Melhor longa brasileiro: Tatuagem (PE), de Hilton Lacerda
Melhor longa latino-americano: Repare Bem (POR), de Maria de Medeiros
Melhor curta nacional: Os Filmes Estão Vivos (RS), de Fabiano de Souza e Milton do Prado

Prêmio Dom Quixote
Vencedor: Repare Bem (POR), de Maria de Medeiros
Menção Honrosa: Venimos de Muy Lejos (ARG), de Ricardo Piterbarg
Menção Honrosa: A Oeste do Fim do Mundo (ARG/BRA), de Paulo Nascimento

Fonte: G1

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s