Robocop de José Padilha ganha seu 1º trailer


(Fonte: Omelete)

(Fonte: Omelete)

O tão aguardado remake do cult da sétima arte Robocop, dirigido por ninguém menos que José Padilha (diretor dos dois Tropa de Elite), acaba de ganhar seu primeiro e empolgante trailer.

Nele podemos confirmar algumas coisas que foram ditas pelo diretor na Comic-Con deste ano. Está sentado? Antes de falarmos sobre isso confira o trailer abaixo:

Na Comic-Con deste ano era nítida a empolgação de Padilha com este filme. O diretor estava se segurando para não falar o que o estúdio hollywoodiano lhe havia proibido. Mas ao mesmo tempo, foi falado muito sobre o enredo do filme e a proposta filosófica por traz do roteiro.

O extraordinário trailer acima já confirma tudo que foi dito e comentado no evento. A adoção de drones para a segurança pública e a preocupação de quem puxa o gatilho foram introduzidas de cara no trailer.

Em determinado momento, o ator Gary Oldman (o Comissário Gordon do Batman de Christopher Nolan), que faz o cientista que cria o Robocop, explica que a parte máquina manda impulsos elétricos para o cérebro de Alex Murph (interpretado por Joel Kinnaman) apertar o gatilho, controlando-o. É a ilusão de livre arbítrio.

Esta é uma clara referência à tecnologia atual que impõe subconscientemente determinado comportamento ao ser humano ou, mais indiretamente, ao Estado que faz uma espécie de “lavagem cerebral” nos policiais, forçando-os a impor a força coercitiva estatal e fazendo-os acreditar que possuem o direito de escolha, só que não.

Na sequência, a parte humana começa a tomar controle da situação, como se a racionalidade e as emoções humanas fossem um “vírus” que tenta sobrepor a máquina e tomar o controle da situação. Esta reviravolta gera o questionamento filosófico que Padilha tanto comentou na Comic-Com que é o de quem puxa o gatilho, ou seja, quem é o verdadeiro responsável pelas mortes, a máquina ou o homem?

Tal questionamento também é bastante atual com a aplicação de drones comandados por controle remoto, substituindo a infantaria formada por seres humanos armados, nos conflitos bélicos recentes como a 2º Guerra do Golfo e os conflitos na Faixa de Gaza e na Cisjordânia.

Outra cena interessante é aquela que mostra o Robocop atacando alguns robôs. Será este um tipo de treinamento? Ou será que a criação se rebelou contra seu criador igual no filme Exterminador do Futuro de James Cameron, no mangá Metrópolis de Ozamu Tezuka ou no clássico do cinema 2001: Uma Odisséia no Espaço?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s